sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Vídeos sobre proteção contra raios Resultados da pesquisa (Painel do Coronel Paim)

sábado, 15 de outubro de 2016

Dicas ajudam a proteger eletrônicos de raios e apagões na rede elétrica


Independente da estação do ano ou clima da região, os equipamentos eletrônicos ligados na rede elétrica sempre estão expostos a eventuais surtos de tensão. Seja de origem na própria concessionária de energia elétrica ou de ordem natural, como um raio durante a chuva, os picos de tensão são os maiores responsáveis por danos aos equipamentos eletrônicos. O TechTudo preparou dicas para proteger os equipamentos e deixar a sua casa mais segura contra raios ou distúrbios na rede elétrica.
Descargas elétricas colocam em risco o funcionamento de aparelhos eletrônicos (Foto: pond5)Descargas elétricas colocam em risco o funcionamento de aparelhos eletrônicos (Foto: Pond5)

Ao contrário do que muitos usuários podem pensar, o uso de estabilizadores e no-breaks não oferecem um proteção efetiva contra raios e descargas elétricas de grande porte. Esses aparelhos têm a função de estabilizar correntes elétricas de pequenas variações. Para conhecer melhor o funcionamento desses aparelhos, confira o artigo do TechTudo.
Como os apagões interferem nos equipamentos eletrônicos e o que fazer?
A baixa tensão na rede elétrica, ou mesmo sua falta, não afeta drasticamente os aparelhos eletrônicos. O problema, na realidade, é durante o retorno da energia. No Brasil, por exemplo, é comum depois de apagões o fornecimento de energia elétrica retornar com uma tensão (voltagem) acima da normal.
Embora vários aparelhos atuais sejam “bivolt” e suportem tensões acima de 230V, a energia elétrica pode retornar, em alguns  casos, com uma tensão acima disso, causando danos graves aos equipamentos eletrônicos, ainda que essa tensão se restabeleça em poucos segundos.
TVs e home theaters são altamente sensíveis a variações bruscas de tensão (Foto: Reprodução/Rudnick)TVs e home theaters são altamente sensíveis a variações bruscas de tensão (Foto: Reprodução/Rudnick)


Durante a queda ou variação do fornecimento de energia elétrica, desligue todos os equipamentos. Não é preciso retirar os aparelhos da tomada, basta desligar os equipamentos mais susceptíveis a variação de energia como TVs, DVDs, Computadores e etc.
Como os raios interferem na rede elétrica e como proteger os eletrônicos da casa
Quando um raio atinge a rede elétrica durante uma tempestade, ele “percorre” as fiações até encontrar um aterramento onde será descarregado no solo. Se esse relâmpago atingir a rede elétrica próxima a sua residência, ele irá despejar uma enorme descarga com valores muito acima dos suportados pelos aparelhos e até mesmo pela própria fiação. Em alguns casos, o raio pode destruir toda a fiação elétrica e aparelhos da casa.
O que acontece é que, mesmo atingindo regiões distantes, o raio pode percorrer grandes extensões da fiação elétrica, uma grande condutora de energia. Nesse caso, sem nenhuma proteção, a grande variação de tensão e ampéres pode destruir facilmente qualquer dispositivo eletrônico plugado nas tomadas.
Contudo, existe solução. Atualmente, é obrigatório no Brasil o aterramento da fiação elétrica em residências. O aterramento consiste na instalação de um cabo de cobre no solo, de modo que ele possa descarregar tensões atmosféricas, estáticas e facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção, como disjuntores.
Nesses casos, a instalação de um DPS irá complementar o aterramento, fornecendo mais segurança contra surtos e raios. O DPS é um equipamento contra surtos na rede elétrica que protege tanto contra raios como variações de tensão. Ele parece com um disjuntor e sua instalação também ocorre de maneira quase idêntica. Há dois tipos básicos de DPS, geral e individual. O DPS de uso geral, normalmente é colocado próximo à caixa de distribuição de energia da casa. Já o DPS individual é colocado unicamente em uma tomada.
Exemplo de DPS da Siemens (Foto: Reprodução / Siemens)Instalar um DPS é importante no aterramento de uma residência  (Foto: Reprodução/Siemens)
Pela facilidade de instalação, a grande maioria dos consumidores opta por colocar o DPS próximo à caixa de distribuição, protegendo assim, todas as tomadas de energia da casa de uma única vez. A instalação de um DPS deve ser realizada por um eletricista e não é de obrigação da concessionária de energia elétrica, ficando a cargo do consumidor. Geralmente o eletricista irá instalar vários aparelhos DPS, um para cada “fase”.
Caso um raio atinja a rede elétrica perto da sua casa ou apartamento, o DPS irá cortar o circuito, impedindo o raio de ser conduzido pela fiação fazendo-o percorrer o caminho mais fácil, que é justamente o do aterramento.
DPS, em vermelho, instalado no quadro geral de distruição elétrica de uma residência (Foto: Reprodução: HT Forum)DPS, em vermelho, instalado no quadro geral de distribuição elétrica de uma residência (Foto: Reprodução/HT Forum)
O conjunto DPS e aterramento permite ao usuário utilizar os equipamentos eletrônicos durante temporais com uma boa margem de segurança. O DPS é uma solução barata e simples que permite um nível de segurança que antes não era possível.
Começou a relampejar e não sei se na minha residência tem DPS ou aterramento, o que eu faço?
Imagine a seguinte situação: começou a chover forte, faltou energia e relâmpagos e trovões podem ser percebidos com muita intensidade. Se você não tem certeza se sua casa possui aterramento ou DPS, retirar os aparelhos da tomada é uma solução antiga, mas ainda válida.
Caso um raio chegue muito próximo à sua residência e percorra a rede elétrica, essa medida protegerá os seus equipamentos eletrônicos.
Não se esqueça do modem e do telefone fixo
Outra dica válida durante temporais com muitos relâmpagos é desconectar o modem da linha telefônica. Descargas elétricas naturais percorrem também a rede de telefonia fixa, e como a mesma não possui qualquer proteção contra raios, tanto seu telefone fixo quanto seu modem estariam vulneráveis

Postado por Carlos PAIM

sábado, 14 de maio de 2016

Portaria cria comitê para monitorar biomas

Iniciativa define estrutura para atuar junto ao programa nacional que avaliará cobertura vegetal e desmatamento no país.

Está em vigor a Portaria nº 151/2016, que institui o Conselho Consultivo do Programa Nacional de Monitoramento da Cobertura e Uso das Terras dos Biomas Brasileiros e, ainda, nomeia os membros para compor a Coordenação Geral, o Comitê de Coordenação Técnica e o Conselho Consultivo desse programa destinado a monitorar os biomas brasileiros. O Programa tem por objetivo mapear e monitorar o desmatamento, avaliar a cobertura vegetal e o uso e cobertura da terra e sua dinâmica, as queimadas, a extração seletiva de madeira e a recuperação da vegetação.

Em uma esfera mais ampla, essas informações servirão para subsidiar as tomadas de decisão em ações voltadas à promoção da conservação da biodiversidade brasileira. Também para propiciar uma visão estratégica da gestão territorial que conjugue os diversos interesses sobre o uso da terra e ainda permita o desenvolvimento do país em bases sustentáveis.

OBJETIVOS

Para o diretor do Departamento de Ecossistemas do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Alberto Scaramuzza, "a formalização do Comitê de Coordenação Técnica e do Conselho Consultivo é um passo importante para materializar os ambiciosos objetivos do Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros, lançada em 5 de maio”.

As instâncias de Coordenação do Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros foram criadas pela Portaria MMA nº 365/2015, a ser exercida pela Secretaria-Executiva do MMA. Essa mesma portaria criou, também, a instância de coordenação técnica e científica do Programa, denominada Comitê de Coordenação Técnica, a ser exercida pela Secretaria de Biodiversidade e Florestas e pela Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do MMA.

MMA

Postado por: Ygor I. Mendes

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Raio atinge edícula, derruba parte de muro e assusta moradores


Durante chuva forte, raio atingiu uma edícula, derrubou parte do muro e assustou moradores da região. O caso aconteceu no último sábado (4), na Rua Paraná, no Centro de Batayporã, distante 311 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o site Nova News, a descarga elétrica acertou o padrão da edícula e percorreu toda a fiação até chegar no imóvel. Segundo os moradores da casa da frente, no momento não havia ninguém na edícula.

Com a força da descarga, os interruptores, caixa de força e lâmpadas do imóvel explodiram. A eletricidade percorreu até a lavanderia, onde derrubou parte do muro e rachou o tanque e lavar roupas.

Alguns moradores da região afirmaram que um pé de manga que fica ao lado da residência pode ter atraído o raio. Uma equipe da Energisa foi até o imóvel e desligou o padrão para evitar acidentes.

O dono da residência, que fica na frente da edícula, relatou que só ouviu estrondo e um clarão muito grande. A filha do homem tomava banho no momento do ocorrido. Ela conta que viu o fogo percorrer o fio de energia até o imóvel. Ninguém ficou ferido.

Histórico - Vários casos envolvendo raios foram registrados este ano em Mato Grosso do Sul. O mais grave aconteceu em fevereiro deste ano, em Sidrolândia, distante 71 quilômetros de Campo Grande. Rafael Cunha Frete, 24 anos, morreu após ser atingido por raio enquanto usava o celular no quintal de casa, na Rua Rui Barbosa, na Vila São Bento.

Segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Mato Grosso do Sul está entre os Estados com maior incidência de raios no País. Os dez municípios sul-mato-grossenses mais atingidos pelas descargas elétricas também estão entre os 150 do Brasil que tem 5.570 cidades. No ano passado, quatro pessoas morreram após serem atingidas por descargas no Estado.
Campo Grande News

domingo, 15 de fevereiro de 2015

SAIBA COMO SE PROTEGER DOS RAIOS DENTRO E FORA DE CASA
 

Parece difícil de acreditar, mas apesar de todos os alertas no rádio, na TV e em diversas mídias, muitos ainda se machucam ou perdem a vida por procedimentos errados durante as tempestades com raios. Portanto, informação nunca é demais e a Clamper preparou algumas dicas para ajudar você a se proteger do perigo dos raios.
Já falamos sobre o poder destrutivo dos raios e a importância da prevenção, mas ainda tem muita gente que se arrisca e acaba pagando caro por isso. Antes de tudo é preciso lembrar que em casa ou fora dela, existem riscos que podem ser evitados com medidas simples. Confira:
Cuidados fora de casa durante tempestades
- Afaste-se das árvores e terrenos abertos;
- Não permaneça em piscinas, rios e lagos;
- Evite ficar em morros e terrenos elevados;
- Se estiver dirigindo, permaneça no carro;
- Não permaneça perto de redes elétricas;
- Afaste-se de cercas de arame, varais metálicos e trilhos.
Cuidados em casa durante tempestades
- Procure ficar em casa até passar a tempestade
- Evite banhos enquanto durar a tempestade;
- Evite contato com qualquer objeto com estrutura metálica, inclusive torneiras;
- Evite usar o telefone;
- Para evitar prejuízos, proteja seus equipamentos com Clamper.
Esses são alguns cuidados simples, porém muito importantes para evitar que tragédias aconteçam. Fique atento ao perigo dos raios e não corra riscos desnecessários.
E lembre-se que para proteger seus equipamentos contra raios e surtos elétricos, a melhor dica é sempre Clamper. Visite o site confira!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Raio atinge fazenda na região de Três Lagoas e mata 68 cabeças de gado

Liana Feitosa
  • Gado morto ao ser atingido por raio


Gado foi atingido no início desta semana. (Foto: Reprodução / Arapuá MS)

Um raio atingiou 68 cabeças de gado no distrito de Arapuá, próximo a Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande. Segundo o site Arapuá MS, o raio atingiu a fazenda Três Meninas na última terça-feira (10).
A carne de animais mortos por descargas elétricas fica imprópria para o consumo, por isso, recomenda-se enterrar os bovinos.
No início do mês passado, janeiro, um raio matou 23 cabeças de gado na Fazenda Lagoa Dourada, a 80 quilômetros de Paraíso das Águas, distante 280 quilômetros de Campo Grande, causando prejuízo superior a R$ 50 mil.
Campeão - De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Mato Grosso do Sul entre os estados brasileiros com o maior incidência de raios, o que, inclusive, faz do Estado um dos cinco com maior número de mortes por raios no País.
Os dez municípios sul-mato-grossenses mais atingidos pelas descargas elétricas também estão entre os 150 do Brasil com maior número de incidências.
No ano passado, quatro pessoas morreram após serem atingidas por descargas no Estado. Neste ano, já foram registrado quatro acidentes com raio e uma pessoa morreu.
No último dia 3, em Sidrolândia, Rafael Cunha Frete, de 24 anos, morreu após ser atingido por raio enquanto usava o celular no quintal de casa na Rua Rui Barbosa, na Vila São Bento.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015


Homem morre após ser atingido por raio no Guarujá, São Paulo

Por Agência Brasil |

Segundo o Corpo de Bombeiros, Daniel Francisco dos Santos, que era pescador, estava retirando o barco de alumínio do mar

Agência Brasil
Um homem de 35 anos foi atingido por um raio hoje (2), por volta das 10h40 da manhã, durante tempestade no Guarujá, litoral paulista. De acordo com o Corpo de Bombeiros da cidade, Daniel Francisco dos Santos, que era pescador, estava retirando seu barco de alumínio do mar, na Praia Santa Cruz dos Navegantes, quando o raio o atingiu. Ele chegou a ser levado para o pronto-socorro local, mas não resistiu.
De acordo com levantamento do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de pessoas mortas por raios no Brasil chegou a 98 em 2014 - uma a menos do que o registrado em 2013. Para fazer o estudo, o Elat usou informações da imprensa, Defesa Civil e Ministério da Saúde.
A maior parte das mortes por raios aconteceu em São Paulo (17), Maranhão (16), Piauí (7), Amazonas e Pará (seis mortes em cada um). Os números de São Paulo se destacam pelas duas mortes que ocorreram no segundo semestre de 2014. Em 7 de novembro morreram três moradores de rua, atingidos simultaneamente por um raio. Em 29 de dezembro, quatro banhistas receberam descarga atmosférica fatal em Praia Grande, no litoral.
As cidades que tiveram maior número de vítimas em 2014 foram: São Paulo com cinco vítimas no total, Praia Grande (SP) com quatro vítimas, e Pauini (AM), Wanderley (BA) e Igarapé Grande (MA) com duas vítimas cada.
Família morre em em Praia Grande, litoral de São Paulo:
Casal Kátia Boaretto e Luciano D'Alessandro estão entre as vítimas fatais. Foto: Reprodução/Facebook
Bombeiros socorrem vítima atingida por raio em Praia Grande. Foto: Reprodução/Facebook
Banhistas morrem após raio em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Foto: Divulgação - Polícia Militar
Banhistas morrem após serem atingidos por raio em Praia Grande. Foto: Reprodução
Casal Kátia Boaretto e Luciano D'Alessandro estão entre as vítimas fatais. Foto: Reprodução/Facebook
1/4

Leia tudo sobre: raiomorteguarujáSão PauloiGSP